PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOÃO LOURENÇO PREFERIU DISCURSO NA CIMEIRA DO CLIMA´´ESCÓCIA GLASGOW´´

Ao fim da manhã desta terça-feira, o Presidente da República, João Lourenço, proferiu o seu discurso na plenária da Cimeira do Clima que reúne o Mundo na cidade escocesa de Glasgow. Eis o seu conteúdo:-Excelências Senhores Chefes de Estado e de Governo-Excelência Senhor Secretário-Geral das Nações Unidas-Minhas Senhoras, Meus Senhores.É com elevada honra que me dirijo à 26ª Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas. A República de Angola considera as alterações climáticas um dos maiores desafios que enfrenta a Humanidade, pelo conjunto de efeitos directos e indirectos que causam à vida económica e social das nações, facto que constitui um verdadeiro desafio ao desenvolvimento.Abraçamos a causa da protecção e repovoamento dos mangais através de uma campanha nacional de replantação de mudas de mangue ao longo da extensa orla marítima nacional. Privilegiamos a produção e consumo de energia limpa proveniente das barragens hidroeléctricas existentes e de outras por construir, assim como nas fontes renováveis de energia, com destaque para projectos de produção de energia fotovoltaica com parques solares que vão reduzir o consumo de combustíveis fósseis na produção de energia eléctrica.Actualmente a matriz energética nacional já incorpora 62% de fontes não poluentes de energia, ambicionando chegar a 70% em 2025. Acabamos de firmar em Washington DC com o ICCF- Fundo Internacional de Conservação, um convénio para a conservação dos parques do Luengue-Luiana e Mavinga, para a protecção da vida selvagem animal e vegetal e desenvolvimento do turismo internacional sustentado.Aprovámos a Estratégia Nacional para as Alterações Climáticas 2021-2035, almejando alcançar os objectivos preconizados no Acordo de Paris. O meu Governo aprovou mais recentemente um importante pacote legislativo ambiental, instrumentos que serão determinantes na luta contra as alterações climáticas.Angola está alinhada com os consensos internacionais do desenvolvimento sustentável, incluindo o África – 2063, em consonância com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.Excelências,Angola definiu a sua contribuição concretizada na redução da intensidade de carbono na produção de energia eléctrica num horizonte até 2025, e acções complementares no domínio da gestão sustentável das florestas, transportes e agricultura. Foram igualmente identificadas acções de adaptação relacionadas com a melhoria da resiliência climática das nossas comunidades e a protecção de investimentos sociais e económicos.Reiteramos a firme vontade e determinação de Angola continuar comprometida com a acção climática e com a adopção de um modelo de desenvolvimento de baixo carbono.Muito Obrigado.

Fonte: Presidência da República.

Postagem relacionada

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.